• 27 Junho, 2016

Fundação do Desporto integra projecto PsyTool   

27 de junho de 2016 

Violência, discriminação, intolerância, dopagem e manipulação de resultados. Estas são algumas das principais ameaças que se colocam aos atletas (nomeadamente os mais jovens) e à população em geral no Desporto de hoje, ameaças estas que são o principal objeto do Projecto cofinanciado pelo Erasmus + Sport, designado PsyTool – “Sport Psychology as a strategic tool for prevention and training on grassroots sports”.

Este projeto, que tem o apoio da União Europeia, conta a participação da Fundação do Desporto enquanto parceiro executivo, juntamente com outras entidades entre as quais se destacam a Universidade de Pablo Olavide (Sevilha), a Universidade Autónoma de Barcelona, a Universidade das Ilhas Baleares, os clubes Sevilha FC e Sporting CP, a Universidade de Lisboa, a Universidade de Sapienza (Itália), a Universidade de Halmstad (Suécia) e o International Centre for Sport Security.

Com um investimento total de € 500.674,00, o PsyTool é um projeto pioneiro de âmbito internacional, que visa desenhar, validar e implementar um conjunto de ferramentas, entre as quais uma plataforma informática plena de recursos de âmbito académico, social, educacional e cultural, permitindo abordagens inovadoras de combate à violência, discriminação, intolerância, dopagem, match-fixing, entre outros problemas que surgem no desporto atual dotando de informação e enriquecendo as autoridades no terreno.

“Este é um dos primeiros projetos a ser aprovado no novo e inédito capítulo dedicado ao Desporto do programa europeu ERASMUS +. De mais de 430 candidaturas apenas 32 foram aprovados e a Fundação do Desporto orgulha-se de estar entre a elite europeia nesta matéria. O PsyTool representa, também, um marco nos projetos ao nível do ERASMUS + porque reúne instituições de topo, dedica-se a uma temática fundamental, a integridade no desporto e do desporto e recorre a uma área científica particular, a Psicologia do Desporto, para encontrar respostas concretas e objetivas para estes problemas que deturpam o verdadeiro significado e utilidade deste diamante que é o Desporto”, (Paulo Marcolino,  Diretor Executivo da Fundação do Desporto, que integra a equipa.)

A equipa de especialistas internacionais do projeto PsyTool reuniu-se na passada semana em Lisboa, na sequência de uma jornada de trabalho que integrou os diferentes parceiros, representados ao mais alto nível. Destaque para a presença do presidente do IPDJ, IP, Autoridade Nacional para o desporto, Augusto Baganha, também ele membro dos órgãos sociais da Fundação do Desporto e para o Presidente do SCP, Bruno de Carvalho. o meeting teve o contributo especial de Curadores da Fundação do Desporto, como a Associação Mutualista Montepio e a Renaul Portugal, que foram determinantes para o sucesso da reunião.

A projeto PsyTool tem a duração de 24 meses e terá as suas conclusões apresentadas no Congresso Mundial da Psicologia Desportiva, em 2017 (Sevilha). Em conferência de Imprensa de apresentação do projeto realizada no Estádio José Alvalade, o vice-presidente do Sporting CP, Carlos Vieira, destacou o papel dos ‘leões’ na luta pela verdade desportiva. “Este é um pouco do histórico do Sporting. Queremos construir um modelo de responsabilidade social e que permita transversalmente com os atletas, com quem trabalha no Clube, familiares, funcionários e parceiros, criar sustentabilidade a todos. Queremos não só formar homens e atletas como também cidadãos do mundo. Achamos que há uma transferência de conhecimentos, uma partilha de resultados, que é benéfica a todas as partes”, explicou.

A opinião foi partilhada pelo coordenador do projecto, José António Sánchez, da Universidade espanhola Pablo Olavide: “O objectivo é criar uma ferramenta informática baseada na psicologia do desporto para promover o ‘fair-play’ e não haver discriminação entre os jogadores de futebol. Pensamos que a educação de treinadores, pais, jogadores é o mais importante para que as condutas de violência desapareçam do mundo do desporto, especialmente no futebol”.

 

 

Deixe uma resposta